A Patinação Artística

A combinação entre esporte e arte encontrou seu grande exemplo na Patinação Artística no gelo. A modalidade, uma das mais antigas da história, é a campeã de audiência nos Jogos Olímpicos de Inverno e atrai grande número de torcedores em todo o mundo.

Estima-se que o ato de patinar no gelo exista há 3 mil anos e a combinação entre patinação e arte tenha surgido no Século 18. Contudo, foi no Século 19 que a Patinação Artística tomou forma graças ao trabalho do norte-americano Jackson Haines, que incorporou elementos da dança e do ballet em suas apresentações.

As primeiras competições surgiram em meados de 1880, e a ISU (União Internacional de Patinação) foi fundada em 1892. Quatro anos depois surgiu o Campeonato Mundial, disputado até hoje. A Patinação Artística também fez parte dos Jogos Olímpicos de Verão em 1908 e 1920 antes de ingressar na primeira edição dos Jogos de Inverno em 1924.

Hoje, a Patinação Artística é disputada em praticamente todos os continentes, incluindo o Brasil. Rússia, Estados Unidos e países europeus, como a Alemanha, são algumas das nações que se destacam no cenário internacional.

O “kit” da Patinação Artística

Basicamente são dois equipamentos principais que um patinador artístico possui. A roupa, parte integrante dos componentes do programa, são feitos sob medida para se ajustarem não só ao corpo, mas também para combinar com toda a coreografia. Já os patins, feitos de couro, possuem uma lâmina de aço com toe pick, que nada mais é do que dentes na ponta para o atleta ter a tração necessária para executar seus saltos. A pista é na mesma medida da utilizada no hóquei, com 60x30 metros, mas sem qualquer marcação. Os atletas precisam utilizar toda a área de gelo para executarem seus programas.

Dicionário da Patinação Artística

Composição: nome dado aos elementos artísticos da apresentação, como música, figurino, coreografia etc.

Dança no Gelo: uma das modalidades da patinação artística, composto por um casal que executa elementos da Dança em suas apresentações. É a modalidade mais artística do esporte.

Free Skate: também conhecido como programa longo, é a segunda apresentação dos atletas e eles têm liberdade para executarem os elementos que desejarem durante suas coreografias.

Saltos: um dos elementos obrigatórios das apresentações. São seis tipos de saltos: salchow, axel, lutz, loop, toe loop e flip.

Short Program: nome da primeira apresentação dos atletas em uma competição, em que eles executam elementos obrigatórios em um período menor de tempo.

O Brasil na Patinação Artística

A prática da Patinação Artística no Brasil remete aos anos 1960, com a criação de pistas de gelo em shopping centers e feiras de eventos. Na década de 80, atletas que treinavam no país criaram diversos campeonatos nacionais para competirem e treinarem.

A filiação internacional só foi obtida em 2006 e, no ano seguinte, o Brasil participou de suas primeiras competições internacionais. De lá para cá, os atletas brasileiros participaram de diversos campeonatos internacionais, Mundiais Júnior e Senior, torneios continentais e, com Isadora Williams, de duas edições dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Conquistas do Brasil na Patinação Artística

2007 – Brasil estreia em competições internacionais de pPatinação Artística no gelo, com Stephanie Gardner no Four Continents (26ª) e Simone Pastusiak na Universíade.

2008  - Brasil participa do Mundial Júnior de Patinação Artística com Kevin Alves, 36º, e Elena Rodrigues, 44ª.

2008 – Kevin Alves, 19º, e Stacy Perfetti, 30ª, representam o Brasil no Four Continents.

2009 – Brasil envia três atletas para o Four Continents: Kevin Alves, 16º, Alessia Baldo, 33ª, e Stacy Perfetti, 34ª.

2009 – Pela primeira vez o Brasil participa do Mundial Senior de Patinação Artística: Kevin Alves é o 37º entre os homens e Stacy Perfetti é a 51ª entre as mulheres.

2010 – Ice Brasil participa do Four Continents com quatro atletas: Kevin Alves, 17º no masculino, Elena Rodrigues, 35ª, Alessia Baldo, 36ª, e Simone Pastusiak, 38ª no feminino.

2010 – Após dois anos, Brasil participa do Mundial Júnior. Kevin Alves é o 19º e Isadora Williams é a 41ª.

2010 – No mesmo ano, Kevin Alves é o 27º no Mundial Senior de Patinação Artística.

2012 – Brasil retorna ao Four Continents após dois anos: Luiz Manella fica em 22º e Kevin Alves, em 23º na disputa masculina.

2012 – Luiz Manella e Isadora Williams, ambos na 16ª posição em suas categorias, participam do Mundial Júnior de Patinação Artística.

2012 – Isadora Williams é bronze no Golden Spin de Zagreb, a primeira medalha internacional do Brasil na categoria olímpica da patinação artística.

2013 – No Mundial Júnior, Luiz Manella é o 15º e Isadora Williams é a 26ª.

2013 – Brasil participa do Mundial Senior de Patinação Artística após três anos. Isadora Williams fica na 25ª colocação.

2014 – Isadora Williams é a primeira latino-americana classificada na Patinação Artística olímpica. Atleta terminou na 30ª posição em Sochi.

2015 – Isadora Williams recoloca o Brasil no Four Continents após três anos e termina na 18ª posição.

2015 – Isadora Williams conquista prata no Philadelphia Summer International, nos Estados Unidos.

2015 – CBDG realiza a primeira edição de seu Campeonato Brasileiro no Rio de Janeiro (RJ).

2016 – Brasil estreia na Dança no Gelo com Karolina Calhoun e Logan Leonesio. No ano seguinte, ela faz dupla com Michael Valdez.

2016 – Isadora Williams conquista mais duas medalhas de prata: Sportland Trophy e Santa Claus Cup, ambas na Hungria.

2016 – CBDG realiza a segunda edição de seu Campeonato Brasileiro no Rio de Janeiro (RJ).

2017 – Após quatro anos, Isadora volta a participar do Mundial Senior de Patinação Artística e fica na 30ª colocação.

2017 – Brasil conquista seu primeiro ouro em competições internacionais de Patinação Artística na categoria olímpica com a vitória de Isadora Williams no Sofia Trophy, na Bulgária. No mesmo ano, ela é prata no Volvo Open Cup, na Letônia.

2017 – Na sua terceira edição, Campeonato Brasileiro de Patinação Artística acontece em Gramado (RS).

2018 – Isadora Williams é a primeira latino-americana a avançar ao programa longo feminino nos Jogos Olímpicos de Inverno. Ela termina na 24ª colocação em PyeongChang.

2018 – No Mundial Senior de Patinação Artística, Isadora Williams é a 35ª colocada.