Confederação Brasileira de Desportos no Gelo

logo20anosNo aniversário de 20 anos entendemos que é o momento ideal para uma retrospectiva ampla de forma a relembrar os fatos esportivos marcantes de nossa história e materializar o crescimento esportivo e de gestão que tivemos nos últimos anos. É um convite para dar uma volta na história afim de compreender que um trabalho bem feito pode sim trazer bons frutos e nos motivar dia após dia a encarar novos desafios e sonhar cada vez mais alto. Lá em 1996 era uma aventura, hoje é um compromisso frente aos milhares de brasileiros que amam e praticam os desportos no gelo pelo mundo.
Tudo começou em 11 de fevereiro de 1996 como um sonho de 4 atletas em participar e representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Nagano no Japão, em 1998. Porém, naquele ano não foi possível competir, pois a CBDG (então ABBSL – Associação Brasileira de Bobsled, Skeleton e Luge) não estava filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro e a Organização dos Jogos não aceitou a participação do Brasil.
Já em 2002 tudo estava organizado. O Brasil enviou pela primeira vez aos Jogos Olímpicos de Salt Lake City uma equipe de Bobsled 4man e 2 atletas no Luge.
Nos Jogos Olímpicos de Turin, em 2006, mais uma participação, desta vez somente com o Bobsled 4man. Em 2010, nos Jogos Olímpicos de Vancouver, a CBDG não obteve classificação em nenhuma modalidade. Era necessário uma mudança e a realidade mostrava que os desportos no gelo não podiam ser tratados com displicência. Era necessário implementar uma gestão profissional e com foco em estratégias de médio e longo prazo. E foi o que aconteceu. Hoje a CBDG possui um Superintendente Executivo, áreas de administração, comunicação e projetos esportivos, comissões esportivas e direcionamentos para o desenvolvimento de parceiros. Um novo cenário que impulsionou a obtenção de ótimos resultados esportivos nos últimos dois anos.
Este novo ciclo da CBDG exigiu uma profunda reconstrução administrativa e esportiva, quando um momento marcante da nossa historia foi escrito. Para a classificar o Bobsled masculino nos Jogos Olímpicos de Sochi, em 2014, o Brasil precisava ao menos completar uma competição durante a temporada de 2013, habilitando a equipe para concorrer às vagas olímpicas na temporada de 2014. Uma nova equipe foi formada a tempo de participar das duas últimas etapas da Copa America em Lake Placid/EUA, em fevereiro de 2013, em uma das pistas mais difíceis do mundo. Nosso piloto voltava após três anos de inatividade e a equipe participou pela primeira vez de uma competição oficial. Não bastasse a normal dificuldade do Bobsled, na véspera da primeira competição um dos atletas recebeu a triste notícia do falecimento de sua mãe no Brasil. Sabendo que o seu sonho olímpico também era o sonho de sua mãe, ele foi enfático em negar a volta para casa – ele tinha uma missão e ficaria ali com a equipe até o final.
Na primeira descida não conseguimos completar a competição – o sonho estava terminando e só teríamos outra chance olímpica em cinco anos. No dia seguinte à última chance da última etapa da temporada.
Este dia foi marcante, pois mostrou que tínhamos atletas que compreendiam a grandeza de representar o Brasil e participar dos Jogos Olímpicos. O trenó do 4man do Brasil completou as duas descidas da competição e se candidatou à uma vaga olímpica. Foi uma grande festa, a primeira de muitas celebrações que viriam e ainda estão por vir com os nossos atletas das 7 modalidades esportivas que representamos. Foi o momento que selou o início de uma nova era na CBDG, quando os sonhos esportivos e olímpicos falaram mais alto do que qualquer interesse pessoal.
Ainda no ano de 2013, a CBDG estrutura um modelo profissional de Gestão Executiva, pautada em uma visão estratégica de médio e longo prazos, modelo este que cada vez mais se solidifica e mostra que estamos no caminho certo.
Em Sochi 2014, a classificação do Bobsled masculino 4man e feminino foi uma grande vitória que ficou ainda mais brilhante com a conquista inédita da vaga olímpica pela atleta Isadora Williams na Patinação Artística.
Em 2014 foi reativado o time masculino de Curling que em 2015 fez um grande enfrentamento com o time dos EUA, valendo uma vaga no mundial. Nesta competição o Brasil mostrou que possui Curling sim e que a cada dia nascem novas comunidades de brasileiros que jogam Curling. Em Vancouver, no Canadá, um grupo de mais de 40 brasileiros treinam forte e se reúnem semanalmente para treinar e jogar. E foi lá em Vancouver que em 2015 aconteceu o 1° Campeonato Brasileiro de Curling da história, tendo Marcelo Mello e Aline Gonçalves como os primeiros campeões brasileiros de duplas mistas, representantes do Brasil no mundial da modalidade em 2016.
Ainda em 2015 tivemos a 1° Seleção de Hóquei no Gelo convocada pela CBDG, participando do Pan Americano de Hóquei no Gelo no México com a conquista da inédita medalha de bronze! 2015 foi um grande ano, pois o Bobsled foi campeão da Copa América de Bobsled, vencendo EUA e Canadá. Também conquistamos as inéditas vagas para os Jogos Olímpicos da Juventude com atletas no Bobsled, Skeleton e Curling. Levamos a bandeira do Brasil para Lillehammer, na Noruega, com o orgulho de que fizemos o nosso máximo!
Em 2015 também tivemos participações de jovens atletas em eventos internacionais de Patinação Artística e Patinação de Velocidade, apresentando um futuro promissor para estas modalidades.
O ano de 2016 começou com a inédita participação nos Jogos Olímpicos da Juventude. No total, nove jovens (quatro no Curling, dois no Skeleton e dois no Monobob) foram os responsáveis pela primeira participação da CBDG na competição!
Na sequência, o Bobsled brasileiro conquistou duas medalhas de bronze inéditas no Mundial de Push – as primeiras do Brasil em um mundial de esportes de inverno.  Isadora Williams também manteve a boa fase e conseguiu a classificação ao Mundial de Patinação Artística após quatro anos.
No Curling, o ano de 2016 ficou marcado pela segunda participação no Mundial Misto da modalidade e pelo título nacional da dupla Anne Shibuya e Marcio Cerquinho. No Hóquei, a seleção brasileira realizou mais uma boa campanha no Pan-americano e ficou na quarta colocação.
Em 2017, Isadora Williams conquistou a primeira medalha de ouro do Brasil em uma competição internacional na categoria olímpica da patinação artística. Já o Bobsled ficou com o vice-campeonato geral da Copa América, atrás apenas dos Estados Unidos. No Curling, o Brasil voltou a desafiar os Estados Unidos tanto com a equipe masculina quanto com a feminina e realizou sua melhor campanha no Mundial de Duplas Mistas, com três vitórias na competição.
Todos nós, atletas, treinadores, funcionários e amantes dos desportos no gelo queremos levar a bandeira do Brasil para o mundo e mostrar que com o esporte e um trabalho sério e profissional tudo é possível. Nós temos a certeza de que ainda há muitos sonhos a serem realizados e muita emoção por sentir ao transformar o suor e dedicação no orgulho de representar o Brasil para o mundo.
Parabéns CBDG e que os próximos anos sejam ainda mais emocionantes!