Confederação Brasileira de Desportos no Gelo

A Fórmula 1 do Gelo

>Bobsled é um esporte de inverno no qual equipes de duas ou quatro pessoas fazem corridas em estreitas trilhas de gelo sobre um trenó. O tempo é cronometrado e quanto menor for o tempo, melhor é a colocação da equipe.

História

bobsled-historia-3

Os trenós eram comuns nos países nórdicos, e surgiram anos antes das primeiras pistas serem construídas. Nos anos 1870, em St. Moritz, na Suíça, um grupo de ingleses adaptou os trenós de entrega usados por garotos da região, e começou a descer colinas e morros, colidindo com as pessoas nos arredores da cidade, o que provocou o banimento do Bobsled em vias públicas. No final dos anos 1870, Caspar Badrutt, um proprietário de famosos hotéis em St. Moritz, decidiu construir a primeira pista “half-pipe” do mundo. A pista sediou dois jogos olímpicos e continua em uso até hoje, sendo uma das poucas pistas que não utiliza gelo artificial no mundo.

bobsled-historia-1

As primeiras competições começaram a ocorrer em estradas cobertas por neve, até que em 1884 ocorreram as primeiras competições formais. O trenó foi adaptado diversas vezes, e deu origem aos mesmos usados no Luge e no Skeleton. A pista original de St. Moritz evoluiu gradativamente, para poder abrigar os três esportes. O primeiro clube de Bobsled foi formado em 1897, e as primeiras pistas propositalmente construídas, e que seriam utilizadas apenas para a modalidade surgiram em 1902, fora de St. Moritz. Tanto as pistas como os trenós evoluíram significantemente com o tempo.

bobsled-historia-2

Em 1923 foi fundada na cidade de Paris, a Federação Internacional de Bobsled e Tobogã (FIBT), que até hoje é a Federação responsável pelo esporte em todo o mundo.O Bobsled de quatro pessoas (4-man) foi incluído na 1ª edição das Olímpiadas de Inverno em Chamonix, na França, em 1924. Já a modalidade de Bobsled de duas pessoas (2-man) foi incluída nas Olímpiadas de 1932 em Lake Placid, nos Estados Unidos.Em 1952 a FIBT aprovou um importante regulamento, estabelecendo o peso máximo por equipe, acabando com a era dos atletas superpesados no esporte. O novo regulamento implicava que o peso máximo da equipe, contando com o trenó, era de 630kg nas competições com quatro homens, 390kg com dois homens, e 340kg com duas mulheres.O Bobsled feminino foi introduzido nos Jogos Olímpicos apenas em 2002, nos Estados Unidos, na categoria de duplas (2-woman).

Equipamento e Pistas

Para a prática do Bobsled são utilizados quatro equipamentos obrigatórios que ao longo dos anos evoluíram e se adaptaram as mudanças ocorridas nas pistas e regulamentos do esporte.

Trenó – Os primeiros trenós eram feitos de madeira, mas hoje são uma combinação de metais leves, equipamentos de metal e um corpo totalmente aerodinâmico. Trenós oficiais devem ter no máximo 3,80m para a categoria Four Man, ou 2,70m para as categorias Two Man e Two Woman. Chegam a velocidades entre 130 e 150 km/h e atingem uma força de até 5G’s. O preço de um trenó está avaliado em torno de R$100.000,00

Capacete – O capacete é o mesmo utilizado na fórmula-1 e em provas de motociclismo.

Lâminas – Cada trenó tem quatro laminas que deslizam sobre o gelo. Todas elas são feitas de aço e que chegam a custar até R$10.000,00 cada.

 Sapatilha específica – A sapatilha do Bobsled é um tênis feito com 500 mini agulhas na sua sola, com o objetivo de dar tração no gelo na hora do push, quando os atletas empurram o trenó no início da prova.

Pistas – As pistas modernas são feitas de concreto e cobertas por gelo. Devem ter ente 1.200 e 1.300 metros e possuir no mínimo 15 curvas. Algumas das pistas de hoje também são utilizadas pelo Skeleton e pelo Luge. O preço estimado da construção de uma pista de Bobsled é de R$ 100.000.000,00

A Competição

Largada (Push) – Os atletas correm 50 metros em sincronia e pulam dentro do trenó. Essa distância é percorrida em menos de 5.5 segundos acelerando o trenó em até 40 km/h. As sapatilhas são essenciais para a corrida dos atletas, dando tração e equilíbrio, e evitando quedas.

Piloto – Depois da largada o piloto assume o comando, guiando o trenó até a linha de chegada. Uma boa pilotagem requer bons reflexos e memorização do layout da pista. O piloto controla o trenó com as mãos através de um mecanismo de direção dentro do cockpit do trenó. Um erro de pilotagem pode causar uma capotagem e, se o trenó não passar a linha de chegada, a eliminação da equipe na competição.

Chegada – Ao cruzar a linha de chegada o piloto sinaliza o atleta responsável pela frenagem. O brakeman puxa o freio e diminui a velocidade do trenó gradativamente até a sua parada.

Tempo – Dependendo da pista uma descida dura entre 50 e 60 segundos, onde os trenós excedem 120 km/h.

Principais Competições de Bobsled

As principais competições do Bobsled são organizadas pela FIBT desde 1923, quando a federação foi fundada. Existem diversos campeonatos nacionais que são organizados diretamente pelas federações de cada país. Também existem campeonatos regionais, como a Copa América, por exemplo, organizada pelas FIBT.

Copa do Mundo de Bobsled

A Copa do Mundo de Bobsled (Bobsled World Cup) consiste em uma temporada com oito corridas em sete pistas e cidades diferentes ao longo de vários meses. Ao final, os atletas que tiverem as melhores colocações somando todas as corridas são declarados campeões. A temporada tem início nos meses finais de um ano e terminam nos meses iniciais de outro. Sua primeira edição foi na temporada de 1984/1985. Em 1991 foram oficialmente introduzidas as categorias Two Man e Four Man, e em 1995 a categoria Two Woman.

Maiores Vencedores de Cada Categoria:

Two Man – Pierre Lueders (CAN) – 6 títulos

Four Man – Alexander Zukbov (RUS) – 5 títulos

Two Woman – Sandra Kiriasis (ALE) – 8 títulos

Campeonato Mundial da FIBT

Diferentemente da Copa do Mundo, o Campeonato Mundial consiste em provas tanto de Bobsled como de Skeleton, e acontece anualmente, exceto em anos Olímpicos. O primeiro campeonato ocorreu em 1930, e a única categoria presente era a categoria Four Man. Em 1931 a categoria Two Man foi introduzida, em 1982 um campeonato de Skeleton foi criado em paralelo ao de Bobsled. No ano 2000, a categoria feminina estreou nas duas modalidades e em 2007 ocorreu o primeiro evento com times mistos, tanto no Skeleton como no Bobsled.

Enquanto a Copa do Mundo ocorre em diversas sedes ao longo de vários meses, o Campeonato Mundial ocorre em apenas uma cidade.

Maiores Medalhistas:

Eugenio Monti (ITA) – 9 ouros e 1 prata.                                                  

André Lange (ALE) – 8 ouros, 4 pratas e 2 bronzes.

Christopher Langen (ALE) – 8 ouros, 4 pratas.

Bobsled nos Jogos Olímpicos

O Bobsled está presente desde os primeiros Jogos Olímpicos, em 1924, em Chamonix, na França. No ano de 1960, em Squaw Valley, Estados Unidos, não houve a disputa do esporte porque o comitê organizador dos jogos decidiu cortar gastos e acabou não construindo a pista oficial. A única categoria presente em 1924 era a Four Man, mas em 1932 a categoria Two Man fez sua estreia. Em 2002, em Salt Lake City, as mulheres entraram de vez no calendário olímpico, com a modalidade Two Woman.

Maiores Medalhistas:

André Lange (ALE) – Two Man e Four Man – 4 ouros e 1 prata.

Kevin Kuske (ALE) – Two Man e Four Man – 4 ouros e 1 prata.

Bernhard Germeshausen (Alemanha Ocidental) – Two Man e Four Man – 3 ouros e 1 prata.

Kaillie Humphries (CAN) – Two Woman – 2 ouros

Sandra Kiriasis (ALE) – Two Woman – 2 ouros

Brasil no Bobsled

O Bobsled é um esporte em ascensão no Brasil, e desde as olimpíadas de 2002 o país conta com representantes na competição, com uma exceção em 2010.

brasil-no-bobsled-1

 

Olímpiadas de 2002, Salt Lake City, EUA
Em 2002 o Brasil conseguiu classificar sua primeira equipe de Bobsled para uma edição dos Jogos Olímpicos, na categoria Four-Man. Os integrantes Eric Maleson, Matheus Facho Inocêncio, Edson Bindillati e Cristiano Rogério Paes fizeram um tempo total de 3:16.73 minutos, com a melhor parcial sendo na segunda descida, quando fizeram 48.76 segundos. A equipe terminou a primeira corrida na 31ª posição, porém conseguiu manter uma boa média de tempo nas corridas seguintes e pulou para a 27ª posição no ranking total. A competição contava com 33 equipes.

brasil-no-bobsled-2

Olímpiadas de 2006, Turim, Itália

Os jogos de 2006 tiveram um começo turbulento para a delegação Brasileira. O Brasil conseguiu a classificação novamente na categoria Four-Man, com Ricardo Raschini, Márcio Silva, Armando dos Santos e Edson Bindilatti formando a equipe. Porém no dia 13 de fevereiro, o Comitê Olímpico Brasileiro anunciou que os testes antidoping de Armando dos Santos, tinham dado positivo, o que fez com que o atleta fosse substituído por Claudinei Quirino, o reserva da equipe.

brasil-no-bobsled-3

No dia 18, o Comitê Olímpico Australiano entrou com um recurso no Comitê Olímpico Internacional, alegando que a classificação brasileira era inválida, sendo que o teste foi feito duas semanas antes da competição que garantiu ao Brasil a vaga, a Challenge Cup. O Brasil tinha sido o primeiro colocado, e a Nova Zelândia segunda, dando aos dois países vagas nos Jogos, os Australianos haviam chegado em terceiro e caso o Brasil fosse desclassificado passariam ao segundo lugar e ficariam com a vaga. No dia 19 de fevereiro, o COI decidiu a favor do Brasil, rejeitando o recurso Australiano.

Os problemas brasileiros continuaram durante a competição. O trenó da equipe capotou na 14ª curva, fazendo a equipe terminar a corrida com um tempo ruim.

brasil-no-bobsled-4

Na segunda ocorrida não ocorreram acidentes, mas o tempo brasileiro continuou alto, de 1:00.31min para 58.51 segundos. A terceira corrida parecia um replay da primeira, e de novo na curva 14 o trenó brasileiro capotou. O acidente foi mais grave que o primeiro e fez Claudinei, um dos integrantes da equipe, cair para fora do trenó, reclamando de muita dor em um de seus braços. O Brasil não conseguiu se classificar para a última corrida, sendo que apenas as 20 primeiras equipes passaram, e o time brasileiro terminou na 25ª posição.

brasil-no-bobsled-5

Olímpiadas de 2014, Sochi, Rússia

Pela primeira vez o Brasil conseguiu se classificar em duas categorias, Four-Man com a equipe formada por Edson Bindilatti, Fábio Gonçalves Silva, Edson Martins e Odirlei Pessoni e Two-Woman, com a dupla Fabiana Santos e Sally Mayara.

A equipe masculina novamente não conseguiu se classificar para a quarta descida, terminando em 29ª no ranking geral, com um tempo total de 2:50.71min. A dupla feminina ficou na última colocação geral, mas conseguiu completar todas as quatro descidas.